Otimizar o WordPress – 7 Pontos de Atenção

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Otimizar o WordPress é um desafio para quem está criando o primeiro site com o sistema. Todos querem um site rápido, que carregue em segundos e sem travar. Por outro lado, querem instalar 47 plugins e rodar em um plano compartilhado como se estivesse em um dedicado de 8 núcleos. Existe solução pra isso? É o que você vai descobrir a partir de agora.

Como Otimizar o WordPress

Otimizar o WordPress: Introdução

Antes de chegarmos nas dicar de otimização, eu preciso fazer uma introdução sobre o WordPress e recursos de um servidor. Sem essa informação, as dicas podem não fazer tanto sentido e você pode pensar que escrevi tudo isso para te fazer perder tempo. Vamos lá?

O principal problema quando falamos em deixar o CMS mais rápido não está na memória do servidor, no disco SSD ou no próprio WordPress. Está na mentalidade de quem está construindo o site. Explico:

Existem dois tipos de usuários no WordPress que posso usar para ilustrar perfeitamente o que quero dizer.

O primeiro, vamos chamado de “João”. Ele é um usuário iniciante que está maravilhado com a quantidade de possibilidades que o WordPress oferece. Mas João não possui muitos conhecimentos, e instala tudo o que vê pela frente no seu plano de hospedagem compartilhado. Ele não quer nem saber se pode usar apenas 1GB de memória. Ele está pagando, o provedor que se vire para que ele possa rodar tudo que ele quer, como se fosse um plano dedicado.

Do outro lado temos a usuária “Maria”. Ela sabe exatamente quantos recursos possui o seu plano de hospedagem. Entende que, quanto mais plugins e temas pesados ela instalar, mas recursos serão consumidos. Maria tem conhecimento de que o seu plano não é ilimitado e que ela vai precisar aprender a otimizar o WordPress para consumir o mínimo de recursos. A usuária também sabe que isso é indispensável para que o site carregue mais rápido e não culpa o provedor por isso.

Agora eu pergunto a você, leitor deste artigo: Quem vai conseguir construir um site de qualidade e ficar nas melhores posições do Google?

Recursos do plano de Hospedagem

Agora que você sabe os dois principais tipos de usuários do WordPress, está na hora de começar a agir como um usuário inteligente, que busca o melhor para o seu site.

O primeiro passo é contatar o seu provedor de hospedagem e descobrir exatamente quais os recursos de processamento você pode usar no seu plano. Não tem como fazer uma otimização sem saber com quais recursos você pode trabalhar.

Faça as seguintes perguntas ao seu provedor:

  • Qual o limite de vCPU do plano?
  • Qual o limite de Memória do plano?
  • Qual a quantidade de processos que podem ser executados?
  • Onde você pode monitorar o uso desses recursos?

Para título de exemplo, vamos trabalhar com 1 vCPU 2.0 GHz, 1 GB de Memória e 100 Processos. O painel é o cPanel e o uso de recursos pode ser monitorado na sidebar do painel.

Agora, navegue no seu painel e monitore o uso dos recursos por alguns minutos. Posteriormente, abra a área administrativa do WordPress e navegue pelos menus. Ao voltar a monitorar o uso dos recursos, você perceberá que houve um aumento no uso. Isso é perfeitamente normal, afinal você usou mais recursos ao navegar.

Anote quanto de recurso o seu plano possui e qual o uso dos recursos pelo WordPress.

É importante saber que, se você possui mais de uma instalação do WordPress no mesmo plano, os recursos do plano são compartilhados entre todas.

Outro ponto importante é que, algumas pessoas ainda acham que contrataram planos ilimitados. O que existe são servidores com um monte de site pequeno. Quando algum deles consome um pouco mais de recursos é convidado pelo provedor a assinar um plano maior. Maior que ilimitado?!

Versão do PHP

A versão do PHP deve ser sempre a última disponível. No momento que escrevo este artigo, a versão estável é a 7.3. O WordPress é totalmente compatível com a versão.

Se você não sabe qual versão do PHP está usando, faça mais um contato com o seu provedor de hospedagem e questione. Veja se é possível usar a versão mais recente.

Alguns painéis permitem que o próprio usuário selecione a versão do PHP que deseja utilizar.

Não use mais a versão 5.6. Ela não recebe mais atualizações de segurança e está muito ultrapassada.

Banco de Dados

A versão do MySQL é um pouco diferente do PHP. Cada servidor de hospedagem pode levar um certo tempo para fazer a homologação e disponibilizar uma versão atualização. O MySQL já está na versão 8.0, mas a mais encontrada no mercado de hospedagem (especialmente compartilhada) são 5.6 e 5.7. São versões muito boas, mas se você puder escolher, vá para a 5.7.

Também é comum encontrar planos com o banco MariaDB. Este banco de dados também é compatível com o WordPress. Observe apenas se está usando uma versão 10.0 ou superior.

WordPress Atualizado

Antes de começar a otimizar o WordPress, você precisa usar a versão mais recente. Ficar parado na versão 4.9 só porque você não gosta do novo editor do sistema não dá. Desculpe a sinceridade (rsrs).

Atualize o sistema para a ultima versão e se for necessário, desative o novo editor de posts.

Atualize também os plugins e temas. Deixe tudo atualizado, sem excessão.

Plugins e Temas Piratas

Prezado leitor, pelo amor do santo WordPress! Plugin e tema pirata não tem condição. Além de encher o seu sistema de vírus e scripts maliciosos, você ainda não vai receber atualizações de segurança e nenhuma outra.

Acredite você ou não, já tive casos no iConectado Host onde o cliente reclamou que não estava conseguindo atualizar um plugin pirata. E a culpa era do provedor. Sem comentários…

Temas

A primeira coisa a se fazer quando estamos otimizando o WordPress é remover todos os temas inativos. Especialmente aqueles temas que vieram na instalação padrão. Você pode pensar que não, mas um tema inativo também consome recursos do plano, afinal o sistema precisa ficar checando se tem ou não atualização pra ele.

Depois disso, você precisa saber o “peso” do seu tema. Saber quantas requisições ele faz no servidor e quais pontos devem ser otimizados. Há diversas ferramentas online que ajudam nesse passo. Veja algumas:

Para fazer o teste usando as ferramentas é preciso desativar todos os seus plugins, falaremos deles logo mais. No momento você deve resolver as questões sobre o tema. Fazer o teste com os plugins ativos irá gerar resultados falsos porque haverá mais recursos no tema.

Resultados

Depois que você fizer o primeiro teste, veja a quantidade de tempo que o site leva para ser carregado e quais pontos a ferramenta de analise apontará que precisam ser resolvidos. Trabalhe para resolver aqueles problemas de performance.

Você deve saber que, cada tema apresentará um resultado e a ferramenta apresentará suas recomendações. As vezes um plugin de cache bem configurado resolve os problemas.

Por outro lado, há temas muito pesados que são impossíveis de serem otimizados. Neste caso, a solução é encontrar um tema de qualidade para o seu site. E acredite, vale a pena sacrificar um tema para o sucesso do projeto. Tenha em mente que nenhum tema pode ser substituído. E também que o sucesso de um site não está no tema, está no conteúdo.

Se for escolher um novo tema, use as ferramentas já indicas para analisar qual a melhor opção. Você pode fazer os testes usando a própria URL de demo do tema. Não é preciso comprar um tema para depois descobrir que ele é bom ou ruim.

Dica extra: De muita atenção ao resultado das analises de navegação mobile do PageSpeed Insights do Google. É um fator de ranqueamento que merece muita atenção.

Plugins

Ah, os plugins. Chegamos na pior melhor parte. Eu começo avisando que sacrifícios serão necessários. Não dá para otimizar o WordPress com 37 plugins fazendo 300 requisições no seu site. É sério!

Se você está levando a sério esse artigo, então você tem um tema bem otimizado no seu site e talvez um plugin de cache instalado e configurado. Você não quer estragar isso, certo? Então vamos lá!

Os plugins mais importantes X vamos fazer a limpa

Se você está com problema de uso de recursos em excesso, remova os seguintes plugins:

  • Plugins de redes sociais: Por ora, você não precisa disso, vamos focar em deixar o site rápido.
  • Plugins de newsletter: Pare de usar esse tipo de solução. Envio de newsletter deve ser com serviço próprio. O MailChimp por exemplo, deixa você enviar 12 mil mensagens grátis por mês.
  • Plugins de redirecionamento: Aprenda a fazer redirecionamentos a nível de servidor com o .htaccess do apache ou com o arquivo do seu servidor Web.
  • Plugins de Links quebrados: Já errei muito aqui. Hoje uso o Google Search Console, no Google, que avisa sobre erros 404 e a ferramenta SEMRush, que analisa o site todo e me informa o que está quebrado.
  • construtores de site: Cuidado com eles! Já tive a oportunidade de acessar instalações do WP com mais de 3 construtores de sites. Eles consomem muitos recursos. Você não precisa de tudo isso. Escolhe um, caso necessário, e construa o seu site inteiro com ele.

Agora vamos aos plugins necessários:

  • SEO: Use apenas 1 solução para SEO. A maioria faz a mesma coisa. Uma das melhores opções é o Yoast SEO.
  • Firewall: Pensar na segurança é importante, eu tenho um curso sobre isso, mas no treinamento eu aconselho os meus alunos a usarem a menor quantidade de plugins possível. Eu falo isso justamente pensando no desempenho do WP.
  • Contato: Alguns temas já oferecem formulários nativos, sem a necessidade de um plugin. Considere esse recurso na hora de escolher o seu tema. Caso contrário, um plugin de formulário bem leva e simples é o WPForms Lite.

Dica extra: Cuidado com a recomendação de plugins na página do tema. Muita gente instala 10, 15 plugins que o tema recomenda, mas não usa a metade. Avalie se você vai usar tudo aquilo mesmo.

Testes de Desempenho

Depois que você remover todos os plugins desnecessários do CMS, é preciso refazer os testes nas ferramentas já citadas. Para que esse teste tenha validade, a mesma lógica empregada no tema precisa ser usada novamente:

  • Ative um plugin por vez e faça o teste
  • Repita o processo para todos os plugins
  • Tire prints dos resultados
  • Avalie se algum plugin abaixou muito a nota dos testes
  • Faça a otimização para resolver os problemas apontados

CDN (Content Delivery Network)

Não deixe de usar um serviço de CDN. Este irá acelerar e muito as suas páginas. Uma opção muito boa (uso em todos os meus projetos) é a CloudFlare. A solução tem um plano básico gratuito que ajuda muito. Permite que você crie cache, fornece SSL, compressão de arquivo e deixa o site mais seguro. O cPanel do iConectado Host tem até uma integração direta com a ferramenta.

Quando você ativar um serviço de entrega como a CloudFlare, perceberá como o desempenho do site irá melhorar.

Conclusão

Você viu quantos pontos são importantes para otimizar o WordPress? Não é um trabalho fácil e muito menos rápido. Quando lancei a última versão do iConectado Web, eu investi duas horas por dia, durante 17 dias, para deixar o site minimamente aceitável no tocante a desempenho. Ainda há trabalho a ser feito, especialmente na versão Mobile.

Para concluir esse artigo, eu quero fazer algumas recomendações para você sair sabendo como agir.

Eu quero que você tome decisões e faça o melhor para o seu site. Faça isso usando analises e números, nunca deixe a emoção (amor por um tema ou recurso) falar mais alto. Faça uma verdadeira limpa nos seus plugins. Use a melhor opção de cache que encontrar.

E agora falando como CEO de um provedor de hospedagem, não tenha o serviço como seu “inimigo”. O provedor vai lhe entregar o que você assinou. Não cobre recursos que você não contratou.

E por último, trabalhe para otimizar o WordPress ao máximo, para que as páginas tenham o menor tempo de carregamento e requisições. Se você puder investir em um programador, faça isso. Caso não, estude bastante para ter o conhecimento e saber como agir.

Deixe um comentário

Já faz parte da nossa Lista VIP de Conteúdo?
Receba semanalmente as melhores dicas para deixar o seu site seguro, rápido e otimizado:

Seu E-mail não será compartilhado.

O seu site NÃO está seguro!

Receba AGORA um eBook com dicas para deixar o seu site MAIS SEGURO. É GRÁTIS!

Junte-se aos 389 assinantes que vão deixar seus sites seguros.

Seu e-mail não será compartilhado.